<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5676375\x26blogName\x3dD%C3%A6dalus\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://daedalus-pt.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://daedalus-pt.blogspot.com/\x26vt\x3d-8110302918440701225', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

29.10.05

zero: black hole: zero

A lágrima não serve para nada se não escorrer pela face quente e lavar o cansaço das tardes perfumadas por odores agrestes, ignotos espinhos nas narinas dilatadas. 24 horas por 7 vezes. O cansaço indulta-me do embaraço de fazer a conta, mas sei que é muito tempo. Não me lembro de nada. Uma semana inteira desencaminhada.
Muito tempo é tempo excessivo quando tudo é um buraco. Negro, sujo, esquecido num brejo cinzento a que alguns chamam cérebro.

28.10.05

Parabéns ao rei


[David, Miguel Ângelo, 1501-1504 ]

Nosce te ipsum

Categorização marginal: nem antes, nem depois.

27.10.05

Já eras

Vens tarde. Um dia, de tanto te querer, cheguei ao pensamento absoluto de mim. E esqueci-me do que tinhas para dizer sobre nós. Agora nem te conheço, tão distante na proximidade, descoberta pela luz coada da manhã.

26.10.05

Pureza

Não sei porque escrevo e profano a branca página.

25.10.05

Para a Worten

A impressora fica sem papel e eu sem paciência para a aturar.

20.10.05

Em nós chovia

Hoje saboreei a lentidão do entardecer nos teus olhos. Choravas enquanto a chuva aquietava o nosso abraço de despedida. Alguém que passava dizia: o bom tempo findou.

19.10.05

A mais curta tragédia do mundo

Era uma vez um rapaz que perguntou a uma rapariga:
– Queres casar comigo?
Ela respondeu:
– Sim.
E no dia do casamento ele surpreendeu-a, entre flores esconsas e mesas derrubadas, a pinar com o seu melhor amigo.FIM.

18.10.05

100 anos de paixão: só eu sei porque não fico em casa #5

-O que é pior que o onze de Setembro?
-O onze do Sporting.

14.10.05

Impressões #6


[Lucien Freud, Girl with a white dog, 1951-1952,Oil on canvas, 76.2x101.6 cm,Tate Gallery, London ]

Etiquetas: ,

13.10.05

Pedido

Sussurra-me todas as palavras, algumas mais, os teus lábios seguram o meu sono.

11.10.05

Galaitas [1934-2005]



[Foto de Carlos Barradas]

A figura meã, mas altiva, a face marcada pelo transcorrer dos anos e pelo farto bigode à Vercingetorix, a ginga nos movimentos e as palavras encadeadas em enleantes fintas; tudo isto é Galaitas: ou será necessário dizê-lo, tudo isto é um homem que nos leva de volta a um passado que nunca foi nosso. Um homem que sabe agir perante uma mulher e que não tem pudor em dizer-nos como. Já o conhecemos há tantos anos e continua o mesmo: um homem com setenta anos e uma mente sempre catraia.

Vamos sentir a sua falta.

10.10.05

Impressões #5


[Antoine Wiertz, The Premature Burial, 1854, Oil on Canvas, 160x235 cm, Wiertz Museum, Brussels]

Etiquetas:

8.10.05

Basófias

Vêem-se cada vez melhor os teus esqueletos. Desde as longínquas obras que tinhas segredos, que guardavas mistérios nos teus diminutos abismos. Quase que és o mesmo, rio pretérito e esquecido pelas águas.

6.10.05

Trabalho de campo [Breve Manual por Bronislaw Malinowski]

Aprende o idioma nativo, afasta-te dos homens brancos e transfere-te para dentro da aldeia.

5.10.05

Impressões #4


[John Everett Millais, Ophelia, 1851-52, Oil on canvas, 76x111.8 cm, Tate Gallery, London]

Etiquetas:

4.10.05

Autómato

Insónia. Auto-comiseração. Febre. Delírios. Palpitações. Irracionalidade. É tão fácil amar-te e tão difícil dizer-to. Esses teus olhos, cerúleos, encerram a bondade de séculos. Como poderei enganá-los? Talvez te olhe nos olhos, talvez não tenha medo de te olhar nos olhos, e te diga que não te amo. Mesmo assim, acredita que...