<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5676375\x26blogName\x3dD%C3%A6dalus\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://daedalus-pt.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://daedalus-pt.blogspot.com/\x26vt\x3d-8110302918440701225', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

31.1.08

John Edwards

John Edwards afastou-se da disputa para a nomeação do candidato democrata às eleições para a presidência dos EUA. As propostas do ex-senador da Carolina do Norte eram, relativamente aos projectos e concepções políticas de Barack Obama e Hillary Clinton, as que se dispersavam de forma mais explícita na paisagem ideológica da esquerda. Por isso, e apenas por isso, Edwards era o meu candidato preferido. Muitos apoiam Obama só porque é negro (de acordo com o maradona, Barack Obama podia também ser o primeiro presidente branco do Quénia), outros tantos apoiam Hillary só porque é mulher. Confesso que gostaria muito de ver uma mulher ou um negro (ou um asiático, ou um homossexual, ou um nativo-americano, ou um chicano...) como presidente dos Estados Unidos. Mas apenas porque são negros ou mulheres? Não. Se assim fosse estaria a fazer tabula rasa de uma parte da equipagem ideológica e moral das ciências sociais: ver além da cor da pele, ver além do género. Mesmo que isso signifique apoiar a pessoa (temos que perceber definitivamente que é de pessoas que falamos e não de brancos e negros, mulheres e homens) com o fenótipo do "opressor" tipificado: homem, branco, cristão. Edwards é muito mais que isso e representava muito mais que o idealismo vácuo de Obama ou a experiência ancorada ao sistema de Hillary. Desistiu, pronto. Life goes on. Eu nem sequer sou americano, porque é que a minha opinião sobre este assunto haveria de ser do interesse de alguém? Mesmo não interessando, sempre digo que agora serei por Barack Obama ou por Hillary Clinton: muito melhores que qualquer um dos candidatos do outro lado.

Etiquetas: , ,