<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5676375\x26blogName\x3dD%C3%A6dalus\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://daedalus-pt.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://daedalus-pt.blogspot.com/\x26vt\x3d-8110302918440701225', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

19.8.08

Levemente irritado


São coisas que me irritam, que me corroem os dias até ao tutano. A hipocrisia, o paternalismo, o pedantismo. É possível que a Antropologia não seja uma área com tantas possibilidades de emprego como a Farmácia, a Medicina, a Economia ou a Engenharia Civil mas pressupõe um caminho de trabalho digno e, para quem se dedica a ela com intensidade, compensador. Eu sei que é difícil acreditar mas a Antropologia oferece (mesmo) momentos de realização maior a quem decide enveredar por trilhos tão esburacados. Por isso, quando falarem comigo, não apelem aos vossos sentimentos mais paternalistas (e involuntariamente pedantes) e abstenham-se de dizer: coitadinho, que estuda antropologia e investiga umas merdas assim muita giras mas que não interessam nada a ninguém... Sou investigador num centro científico de excelência, dou aulas numa instituição universitária pública, escrevo num jornal. Não sou, de todo, um coitadinho. E é só isto.

Etiquetas: ,