<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5676375\x26blogName\x3dD%C3%A6dalus\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://daedalus-pt.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://daedalus-pt.blogspot.com/\x26vt\x3d-8110302918440701225', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

16.5.08

Charles Renouvier: o infinito é um projecto

Os aviões a jacto, a internet, o telégrafo e mais não sei o quê encurtaram as distâncias, diz-se, tornaram o mundo mais pequeno. Dei conta disso quando os vizinhos de baixo, furiosos com o ranger nocturno do meu leito nupcial, me instaram: «Ó porco sujo, vai morrer longe!». Eu quis fazer-lhes a vontade - afinal, até a minha própria esposa detesta os gritos que acompanham invariavelmente o meu orgasmo - e andei, andei, andei (andei ainda um pouco mais que isso) mas não consegui afastar-me o suficiente. E acabei, como já perceberam os menos distraídos, por nem sequer morrer*.

*Grande cromo, pensam vocês, se tivesses morrido como é que contavas esta história tão estapafúrdia? (A verdade é que se conhecem relatos de pessoas que regressam do mundo dos mortos mas isso são aventuras que não me interessa aprofundar agora).

Etiquetas: