<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5676375\x26blogName\x3dD%C3%A6dalus\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://daedalus-pt.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://daedalus-pt.blogspot.com/\x26vt\x3d-8110302918440701225', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

5.2.10

Passeio Público

(Caminhos & Descaminhos)

A actual conjuntura económica tem servido de bode expiatório para toda a espécie de desmandos e asneiras e se é invocada como justificação para o adiamento de “decisões importantes”, também o é quando se tomam, de facto, essas mesmas “decisões importantes” - que se revelam, o mais das vezes, medíocres ou mesmo desastrosas.

É neste contexto que deve ser interpretado o recuo do Governo na concessão de uma série de rodovias na região Centro. O dinheiro não sobeja e há que gastá-lo com frugalidade e sapiência. Talvez por isso, o Governo socialista já assegurou a continuidade dos projectos do TGV e do novo aeroporto, em Alcochete.

Não obstante, cerca de trinta autarcas da região Centro não concertam a sua posição pela do executivo de José Sócrates e exigem explicações para a suspensão das concessões rodoviárias da Serra da Estrela, Vouga, Tejo Internacional e Ribatejo. Não é fácil reprovar decididamente o Ministério das Obras Públicas (lembremo-nos uma vez mais da conjuntura económica) mas percebe-se, sem grande esforço, quem são os maiores prejudicados com esta decisão: os concelhos do Interior, precisamente aqueles que mais amargam com a escassez de boas vias de comunicação.

O concurso para a concessão “Auto-Estradas do Centro”, pelo menos, vai avançar – apesar das dilações do prazo para a entrega de propostas. A ligação Coimbra-Viseu afigura-se crucial para o desenvolvimento económico da região que permeia as duas cidades e é uma aspiração de há muitos anos: de autarcas, munícipes e simples passantes.

Numa viagem recente de automóvel até Lyon pude confirmar que o IP3 (a actual ligação entre Coimbra e Viseu) é, sem dúvida, o pior troço de estrada em mais de 1500km. Aquela parcela de alcatrão é uma monstruosidade que não merece ser a coluna dorsal rodoviária do centro do país.
(Hoje, 05/02, no Jornal de Notícias)

Etiquetas: ,