<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5676375\x26blogName\x3dD%C3%A6dalus\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://daedalus-pt.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://daedalus-pt.blogspot.com/\x26vt\x3d-8110302918440701225', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

31.10.08

Farta disto

A garota foi-lhe às trombas. Não havia outra maneira de acabar com aquilo. Já lhe tinha acontecido outras vezes, no mesmo autocarro cheio de gente desmazelada e triste, de sovacos afastados de lavagens prudentes, com o mesmo rapaz saltitão, reguila e asselvajado, cinematográfico e rameloso. Ela via-o e já adivinhava o que iria, invariavelmente, desse por onde desse, com toda a certeza, acontecer. O rapaz gingão, bárbaro e grosseiro, teatral e circunspecto, estenderia o braço na sua direcção e, entre dois sorrisos abonados de gengivas, oferecer-lhe-ia uma rosa. Uma rosa. Nem mais, nem menos: uma pequena e frágil rosa, dita de Santa Teresinha. Desta vez foi diferente. A história levou outro caminho. A garota foi-lhe às trombas, já disse. Não havia outra maneira de acabar com aquilo. Uma rosa tem espinhos, é de lei, e aquela, por ser pequena e frágil, tinha-os mais afilados. Desta vez não ia chegar a casa com a mãozinha cheia de sangue e o coração apertado e submisso, preso naqueles sorrisos inteiros de telenovela brasileira.

Etiquetas: