<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5676375\x26blogName\x3dD%C3%A6dalus\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://daedalus-pt.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://daedalus-pt.blogspot.com/\x26vt\x3d-8110302918440701225', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

8.4.05

É a vida

Um dia tive uma namorada que até dizia umas coisas engraçadas, como daquela vez em que disse, Estas pesetas são euros falsos, ou ainda outra vez em que disse, Spice girls: as raparigas espaciais, e outras coisas assim, com piada, algumas vezes; e azedume depressivo, quase sempre. Um dia esventrei o tempo e esqueci-me do passado, não o chorei embora chorasse nos teus ombros a perda de coisa nenhuma. Era noite, daquelas noites lentas, coalhadas de pirilampos e gritos pouco audíveis, peguei numa espada e amputei-lhe as jugulares. Calou-se, nunca mais disse coisas engraçadas, ou mesmo azedas, só sei que escureceu ainda mais e a seguir não me lembro de mais nada, só de estar aqui contigo a escrever cartas ao menino Jesus.

Etiquetas: ,