<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5676375\x26blogName\x3dD%C3%A6dalus\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://daedalus-pt.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://daedalus-pt.blogspot.com/\x26vt\x3d-8110302918440701225', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

3.12.03

Ainda a monogamia

Ao escrever isto revivesci uma conversa breve do fim-de-semana transcorrido em que se abordou o destino de alguns ex-colegas da safra de 96-01 da licenciatura de Antropologia. Uma das pessoas referidas foi o Marco Ivo e a sua incontornável proposta para a tese de licenciatura: o estudo da monogamia nos gibões. Estes são primatas muito interessantes porque, ao contrário dos grandes símios antropomorfos, como o gorila ou o chimpanzé, são invariavelmente monogâmicos, exibindo um elevado grau de igualitarismo comportamental entre machos e fêmeas adultos.

O que permanecerá sempre na nossa memória é a ideia mítica e peregrina de estudar a monogamia num Parque Zoológico (o da Maia) onde só existiam dois gibões adultos, un macho y una hembra. Desafortunados animais, por muito que quisessem laurear a pevide tinham que se virar sempre para o mesmo lado. E, sin duda, teríamos mais uma vez a confirmação científica da monogamia entre os pequenos símios asiáticos.