<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5676375\x26blogName\x3dD%C3%A6dalus\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://daedalus-pt.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://daedalus-pt.blogspot.com/\x26vt\x3d-8110302918440701225', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

26.5.08

Deo gratia

Encontrei uma moeda antiga, da qual não sei mais nada para além disso (que é uma moeda e que é antiga). Bem vistas as coisas (sopesadas as circunstâncias do achamento), o objecto que encontrei poderá nem ser uma moeda mas outra coisa qualquer - talvez seja uma carica espalmada e coberta de verdete. A visita a um antiquário ou a um departamento de arqueologia está, pois, fora de questão; a possibilidade de cair no ridículo impede-me de procurar os conselhos de quem mais sabe acerca dos despojos do passado. No café da aldeia, as opiniões dividir-se-ão (e também as pessoas, o que não convém numa aldeia tão pequena). Para além disso, tenho a certeza, as opiniões serão dúbias e pouco fundamentadas, nubladas pelos vapores etílicos e por séculos de preconceitos. Resta-me deitar fora a moeda ou a carica (ou, quem sabe, o envelhecido «tazo») e confiar que algum erudito a encontre, a analise e publique os resultados numa revista da especialidade - que eu hei-de ignorar porque (sejamos sinceros, minhas senhoras e meus senhores) este não é um assunto que me preocupe assim tanto.

Etiquetas: