<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5676375\x26blogName\x3dD%C3%A6dalus\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://daedalus-pt.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://daedalus-pt.blogspot.com/\x26vt\x3d-8110302918440701225', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

9.9.04

Uma aventura

A compra de uma estante foi motivo suficiente para pegar em velhos incunábulos esquecidos sob finas camadas de poeira, incapazes de se livrarem dos anacronismos das leituras demasiado agarradas à puerícia do leitor. O caso da série Uma Aventura de Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada é paradigmático: há quinze anos devorava, incessante e ininterruptamente, do seminal Uma Aventura na Cidade ao Uma Aventura no Deserto, todas as peripécias protagonizadas pelas gémeas Teresa e Luísa, pelo Caracol e pelo Faial, pelo João, pelo Chico e pelo Pedro.



Hoje, olho para as bonitas capas coloridas e pergunto-me pelo destino de tão famosos personagens. O Caracol e o Faial terão morrido, levados pela rapidez dos anos de cão? As gémeas terão casado com alguém que descobriu a pequena dissemelhança entre ambas? O João terá saído do armário? O Chico será o companheiro de aventuras do João Garcia? O Pedro emigrou para Berkeley ou será bolseiro da FCT?

Deixo pairar as perguntas, prefiro manter a inocência. Sou demasiado púdico para deletrear o derradeiro Uma Aventura entre as Duas Margens do Rio.


O meu preferido