<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5676375\x26blogName\x3dD%C3%A6dalus\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://daedalus-pt.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://daedalus-pt.blogspot.com/\x26vt\x3d-8110302918440701225', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

28.6.07

Amélia

Chama-me Amélia. Podia chamar-me Anabela ou Rosália, desde que fosse um nome estúpido que normalmente designa uma pessoa estúpida. Vivo num 14.º andar e vivo sozinha se pensarmos que um cão não conta como mais um. E portanto sou só eu e mais ninguém, daí dizer que vivo sozinha num 14.º andar, apesar de viver com um cão. Não sou muito feliz, não sou muito triste. Vivo no fio da melancolia. Sou o destino de todas as outras pessoas, conto vitórias por falta de comparência. Aproveito o sol no declinar das tardes. Acompanho geografias, cimento afectos ao longo do meridiano. Vivo num 14.º andar, tu já o sabes. Tu foste meu nas alturas desse dia.

Etiquetas: