<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5676375\x26blogName\x3dD%C3%A6dalus\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://daedalus-pt.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://daedalus-pt.blogspot.com/\x26vt\x3d-8110302918440701225', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

3.11.03

Irmãos de armas

Apesar do amor fraternal ser dado adquirido desde que ela nasceu numa Primavera dilucular, nunca com ela tive grandes enlaces de confidência, verse ela sobre que assunto for. A minha lisonja é avara, mas a minha admiração pródiga. Pela minha mana, claro.
Vem isto a propósito das tais confidências fraternais: é que uma amiga contou-me que o irmão alardeou, alto e bom som durante o almoço dominical, que já "esgalhava o pessegueiro"! Corajoso (e talvez ingénuo) o puto de 12 anos. Perante o desconcerto da minha amiga que lhe pedia encarecidamente que lhe contasse tudo após o almoço no quarto dele, ele respondeu: "Olha que ainda não saíu líquido, mas quando sair vais ser a primeira a saber"! Numa frase o amor. Assim. Sem contemplações ou censuras surdas.