<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5676375\x26blogName\x3dD%C3%A6dalus\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://daedalus-pt.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://daedalus-pt.blogspot.com/\x26vt\x3d-8110302918440701225', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

30.9.06

Waiting for the sunset


[Borges e Beppo]

Beppo
O gato branco e solitário vê-se
nessa lúcida lua de algum espelho
e não pode saber que tal brancura
e esses nunca vistos olhos de ouro
são, afinal, a sua própria imagem.
Quem lhe dirá que o outro que o observa
é apenas um sonho desse espelho?
Eu penso que esses gatos harmoniosos,
o do mais quente sangue e o de vidro,
são simulacros que concede ao tempo
um arquétipo eterno. Assim afirma,
sombra também, Plotino nas Enéadas.
De que Adão anterior ao paraíso
e de que divindade indecifrável
somos nós, homens, um quebrado espelho?

[Jorge Luis Borges, A cifra]

Etiquetas: ,

29.9.06

Linhas dispersas

Guardo poemas numa gaveta esquecida. Há quem use metáforas de ali esperando subjugar o tempo disperso nas palavras e talvez recuperar os termos do passado.

As linhas que um deus traçou no dorso do penitente não serão rasuradas.
Sussurra-me todas as palavras, algumas mais, os teus lábios seguram o meu sono.

28.9.06

O que é a verdade?

A rosa escondida nas lágrimas que ocasionalmente lavam a face.

27.9.06

Anotação: brutal!!! [um resquício amarelado de sal]

"Voo, o meu pó será o que sou, renascerei outra vez, outra vez, noutro século, serei Hafez, o poeta."
Sim, só podia ser o Borges. Foi em 1977 e em Buenos Aires. Naquelas sete noites, aquelas de vigília longa e satisfeita.

Etiquetas:

Janus

Quando ele se sente mal ela tenta sempre ajudá-lo. Quando ela se sente mal ele vai para casa, deita-se e sonha cor-de-rosa.

26.9.06

Westway to the world

Se um gesto apenas a tomasse, o adeus. Amplo mas lento, firme mas gracioso, uma mão esquecida no seu corpo.

25.9.06

Foi ontem

É sempre! [.]

Coisas que nos fazem chorar

Uma frase abandonada a meio, uma pergunta ignorada, um descaminho útil. Somos seres sensíveis: e nem percebemos que escrevemos 3 - três! - palavras seguidas de começo em s. Às vezes nem percebemos o que nos faz chorar.

Capas que nos fazem rir


[O Jogo, edição de hoje]

Uma citação quase sempre se adequa a alguma coisa que acontece

"O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons."
[Martin Luther King]

Etiquetas:

Liberdade de expressão 1+1=2

O governo egípcio proíbiu a venda de alguns jornais europeus porque estes continham material pernicioso para o Islão. A mim não me surpreende mais este ataque frontal à liberdade de expressão. O que m'espanta [vi esta no Abrupto] é ainda haver gente a dizer mal do Islão, gente mal formada que ainda não percebeu que algumas virgens hipersensíveis se fazem explodir por dá cá aquela palavra, digo, palha.

22.9.06

Australopithecus afarensis


Lucy in the sky with diamonds. Era a música que a equipa de Donald Johanson ouvia - ou pelo menos, esta é a versão oficial repetida até à exaustão - quando descobriram a pequena Lucy, na região de Afar, Etiópia. Lucy, para os amigos, AL 288-1, para os eruditos. Lucy, bonita fêmea de Australopithecus afarensis, menina para os seus 3.4 milhões de anos. Teve uma filha: Dikika. É o que dizem os jornais da especialidade e ainda mais os que não são da especialidade. E a filha é 150.000 anos mais velha que a mãe. E esta, hein?

Ou não.

Conheço o vento pela sua cor.

21.9.06

Sleep and sorry


[Mutts]

Child of the nineties


[O segundo melhor álbum dos 90, o segundo melhor álbum de sempre]

20.9.06

Remembrance

son she said have i got a little story for you what you thought was your daddy was nothin' but a.... while you were sittin' home alone at age thirteen your real daddy was dyin' sorry you didn't see him but i'm glad we talked... i...i...i'm still alive oh she walks slowly across a young man's room she said i'm ready...for you i can't remember anything to this very day 'cept the look...the look... now i can't see,...i just stare... i...i...i'm still alive is something wrong she said of course there is you're still alive she said do i deserve to be is that the question and if so,...if so... who answers? who answers? i...i...i'm still alive i...i...i'm still alive i...i...i'm still alive i...i'm still alive yeah yeah yeah yeah
[Pearl Jam, Alive, Ten]

Narciso

[Não deixem de espreitar estas sábias palavras :-)]

Liberdade de expressão

Depois dessa coisa a que se convencionou chamar "rua islâmica" calar o papa, também a Federação Portuguesa de Futebol - via direcção de programas da RTP - calou Carlos Daniel, por, alegadamente, este tecer comentários menos abonatórios sobre a referida agremiação no seu programa Trio de Ataque [no Público, sem link]. Na Turquia, um grupo de advogados meteu a escritora Elif Shafak em tribunal por esta ter escrito "insultos ao carácter genuinamente turco" no seu último livro, Baba ve Piç [no Público, sem link]. Como dizia o enigmático V: não pode haver justiça sem liberdade de expressão. Mas, na verdade, é melhor abjurar quaisquer veleidades no que concerne à liberdade de expressão e pensar vinte e seis vezes antes de mandarmos uma qualquer bojarda ao vento que passa. Otherwise, temos à perna os radicais islâmicos, a patrulha relativista, os advogados, o senhor Gilberto Madaíl...

19.9.06

Estou magoado e indignado com as vindimas

É um desassossego, uma inquietação deslocada. Chamemos-lhe assim. Fui [sou] aluno durante 20 e poucos anos, iniciei à pouco o segundo ano em que dou aulas e continuo sem perceber isto: como é possível que um aluno com 8 valores no exame normal pode ir a oral e obter, digamos, um 12 na nota final, e um aluno que obtenha 10 valores no exame fique com essa mesma nota na pauta final? Sou só eu que entendo isto desta forma ou há por aí alguém que também ache isto uma injustiça e uma imoralidade?

Estéticas da morte #dez

Abro os olhos. Um grito sucinto naufraga na escuridão. Apesar da noite e do lençol de linho, apercebo um vulto marmóreo sobre o meu corpo: aelo ou miguel. Ou ambos, confundidos na surpresa dos meus olhos. Na minha boca aflora um esgar, um sorriso truncado, imperfeito, desfigurado perante a vileza - a desfaçatez, a redundância - de julgar agora a minha falta de conhecimento dos mitos e das suas personagens. Nada disso interessa, agora. Estou morto, os mitos vão chegar a mim como se fossem a realidade.

Etiquetas:

Definição

Brejo
s. m.,
terreno encharcado, lodoso;
urzal;
matagal;
gír.,
frio;
Brasil (Baía),
arrozal.

18.9.06

Combater as palavras com actos

Rosa Scorbati, a Irmã Lionella, foi assassinada [como retaliação às palavas do papa Bento XVI] em Mogadíscio. A Irmã Lionella trabalhara 36 anos em África e geria actualmente, em Mogadíscio, um orfanato. [Luís Januário no A Natureza do Mal]
Dizem alguns que a reacção dos EUA aos ataques de 11 de Setembro foi desproporcionada.

14.9.06

Metamorfose


Era uma ruga que vista de perfil, iluminada por incerta luz de vela, se transformava - só ela - num único e enorme rosto.

Um gosto longínquo

Uma tristeza infindável abate-me por te saber triste, virada para uma parede negra.

13.9.06

Estéticas da morte #nove

Acabar a página, o sentido. Mas sem forçar o iludido. Será sempre um final infeliz, costumado. Nada poderei fazer para que no final nada aconteça e o plano acabe em flores, pintando nos campos a inutilidade da vida.

Etiquetas:

O nó górdio

Nos teus olhos um dia como o de hoje, cinzento de água. A incerteza do porvir. A despedida, o assombro. Seria por pouco tempo, o amor ia acordando outra vez.

Etiquetas:

Sobre aquele senhor que esteve no Prós e Contras da RTP1

"O Diácono Remédios vive entre nós e a patrulha, habitualmente implacável com o "marialva" Miguel Sousa Tavares ou com o impagável João César das Neves, permanece sorrateiramente calada. Como convém." [Filipe Nunes Vicente]
Chama-se a isso, meu caro Filipe, activismo selectivo ou hipocrisia. Os termos são permutáveis.

100 anos de paixão: só eu sei porque não fico em casa #32



[Os três melhores de um grande Sporting: Miguel Veloso, João Moutinho e Marco Caneira]

Sporting - 1 : FC Internazionale - 0

O outro dizia: [mostra a esses nazis] que a altura não joga a bola. Nem os nomes sonantes.

Etiquetas:

12.9.06

Desta vez para ti

Vou a tempo de te dizer algo parecido com isto: respiro mal - lentamente escureço - porque um dia te disse [e devia ter permanecido calado] que não seríamos felizes juntos.

É um primeiro passo que devia ser dado. Sem hesitações, corajoso. A pedir redenção ao passado.

100 anos de paixão: só eu sei porque não fico em casa #31


[O maestro tenta - mas não consegue - passar por Kazmierczak]

Vou mudar de clube, tornar-me benfiquista. O Benfica dá-me muito mais alegrias que o Sporting. No último sábado mais um momento de júbilo, proporcionado pela equipa encarnada no estádio do Bessa.

Etiquetas:

11.9.06

A convicção

São pequenas coisas, insignificantes, que revelam a pouco e pouco o teu ser esconso. Omissões sucintas dos teus dias, escorregadelas dúbias da tua personalidade. Alguma desfaçatez quando me mentes [ainda por cima tão mal]. Mesmo assim não duvidamos que és muito melhor que eu.

9/11


Nem sol nem nada, que subjugasse a melancolia esparsa do dia. A tristeza, de sinos e lágrimas, recordou a ignomínia e lembrou quem caiu inocente.

Vamos lá a ver…

6 coisas about myself

O meu coração só tem uma cor: verde e branco
Gosto mais quando é manhã
Prefiro dormir sozinho
O meu prato preferido é Leitão à Bairrada
Adoro jogar PES com os amigos
Tenho dois artigos para acabar e o tempo esgota-se

Passo esta bonita corrente ao Bruno, ao Miguel e ao António.

8.9.06

O fim da história


Agora, a noite e o desenho vão ser apenas memórias.

4.9.06

Um estilhaço de pedra sobre outra pedra maior*

Nem grandes enredos, nem linhas entretecidas, apenas um estilhaço de pedra alojado numa pedra vermelha e sangue - o sangue em barda das feridas vivas, o desmoronamento sucinto da escuridao .
*Jose Cardoso Pires, O Delfim, Dom Quixote

Somos todos Atenienses

Nunca antes tinha sentido tanto o peso da historia, uma poeira tao densa que assinala as linhas profeticas do passado. Talvez porque me lembrei de uma imagem dos Stukas voando sobre a acropole, acordaram lagrimas nos meus olhos. Senti que voltava ao utero primeiro e seminal, aquele onde todo o passado foi convocado e todo o futuro preparado. Nasci aqui, no Partenon e no templo de Hefaistos, sobre ruinas gloriosas. Deve ter sido tao facil dizer - mesmo perante a morte.

2.9.06

Postal from Greece


Os anos passam a correr, os minutos devagar.