<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5676375\x26blogName\x3dD%C3%A6dalus\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://daedalus-pt.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://daedalus-pt.blogspot.com/\x26vt\x3d-8110302918440701225', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

29.12.05

Os melhores de 2005: filmes


1. Wallace e Gromitt [Nick Park]
2. Corpse Bride [Mike Johnson, Tim Burton]
3. Broken Flowers [Jim Jarmusch]
5. Charlie e a Fábrica de Chocolate [Tim Burton]
5. De Tanto Bater o meu Coração Parou [Jacques Audiard]

28.12.05

Os melhores de 2005: álbums


1. You could have it so much better [Franz Ferdinand]
2. Get behind me satan [White Stripes]
3. Tanglewood numbers [Silver Jews]
4. Illinois [Sufjan Stevens]
5. Employment [Kaiser Chiefs]

27.12.05

Os melhores de 2005: canções

1. John Wayne Gacy, Jr. [Sufjan Stevens, Illinois]
2. The modern way [Kaiser Chiefs, Employment]
3. The good ones [The Kills, No Wow]
4. Constants are changing [Boards of Canada, The Campfire Headphase]
5. Helicopter [Bloc Party, Silent Alarm]

Os melhores de 2005: blogues

1. Da Literatura
2. Blogue de Esquerda II [extinto]
3. Avatares de um Desejo
4. Esplanar
5. Origem das Espécies/Aviz
6. Os Tempos que Correm
7. Afixe
8. Dicionário do Diabo
9. Ma-Shamba
10. Vidro Azul



As escolhas talvez se apoiem num vago sentido estético, fortuitos gostos que se justapõem, afinidades electivas ou simplesmente porque sim.

Etiquetas:

23.12.05

Feliz Natal [sem Pai-Natal, árvores gigantes, recordes de maior bolo-rei, sacos da BSK, Zara ou Sacoor e outras putices do consumismo]


Presépio. Da autoria de Machado de Castro, Museu de S. Pedro da Palhaça. Pertenceu ao Mosteiro do Buçaco, donde saiu com o frade Joaquim Rodrigues Seabra depois da extinção das ordens religiosas no séc. XIX.

22.12.05

O grande canal

O teu corpo não espera. Não.
Pela manhã de um dia mais. Talvez
se esta noite fosse outra
e os olhos se não fechassem
de terra aguada pela mágoa de um beijo
partido na véspera.

21.12.05

Jolly good

20.12.05

Querer

O frio, a intempérie, a chuva, o nevoeiro, a tristeza sincopada nos dias derradeiros do ano – certezas incrustadas na pele, a desesperança sazonal da meteorologia. Se te amasse o Inverno não era o último abrigo da melancolia, era talvez um dia de Verão cercado de sombras e morte.

16.12.05

A montanha

Reparas finalmente que te olho de uma outra forma, oblíqua e velada, respirando o azul sob o negro de uma alma excessivamente inalcançável. Nas decididas aporias com que canso a estrada sei que é impossível cortar ao meio a palavra pão.

15.12.05

JESUS CURA

"Descendo do monte acompanhado de grande multidão, Jesus sentou-se junto à praia rodeado dos seus discípulos. E eis que um empedernido estalinista chamado [...], tendo-se aproximado, ajoelhou dizendo: "Senhor, se quiseres, podes purificar-me". E Jesus, compadecido, estendeu a mão e tocou-o, dizendo: "Quero, fica limpo". E imediatamente o homem ficou limpo da tenebrosa ideologia, perante o assombro de quantos ali estavam. Disse-lhe então Jesus: "Vai e não digas a ninguém que fui eu quem te curou". E bendizendo o Mestre, o homem foi logo inscrever-se no PSD."
Por José Vilhena

Tentem descobrir quem é o "convertido". Posso dizer que é uma das celebridades da blogoesfera.

14.12.05

Simulacros e simulação

Envolve o autocarro um cinzento de espera, como se o cansaço do motor redescobrisse todas as cores mortas do mundo e as expelisse no crestomático terminal.

13.12.05

Retorno

Senti o vento na face e eras tu. Olhei. Procurei-te ainda nas páginas de um jornal esquecido debaixo da cama. Lá, onde a ausência do teu corpo dói mais.

7.12.05

Coerências

Ainda não ouvi ou li nada desprezando o feriado religioso de amanhã. A cruzada de objecção às cruzes detém-se no limbo do merecido descanso.

6.12.05

aporias peri mortem

Porque não me beijas, como fazias todas as manhãs? Porque é que o teu irmão chora e a tua mãe arranca os cabelos? Porque é que os senhores de verde me cobrem com um lençol de linho?

5.12.05

Pois, pois...

Um sorriso sincero será acomodado nas caves húmidas da memória.

2.12.05

100 anos de paixão: só eu sei porque não fico em casa #6



Ó Paulo, ele resolvia hoje o assunto... De qualquer maneira e feitio.